Política de Compra e Venda de Valores Mobiliários

Esta Política de Compra e Venda de Valores Mobiliários do Warren Brasil Gestão e Administração de Recursos Ltda. (“Política” e “Warren”, respectivamente) visa a determinar procedimentos e normas para compra e venda de valores mobiliários por Colaboradores (conforme definido adiante).

Esta Política é aplicável a todos os sócios, administradores, empregados, funcionários, trainees e estagiários do Warren (em conjunto os “Colaboradores” e, individualmente e indistintamente, o “Colaborador”).

As instruções expostas no PDF abaixo, devem ser examinadas em todas as negociações pessoais ocorridas pelo Colaborador nos mercados financeiro e de capitais, sendo vedado ao Colaborador utilizar-se de terceiro para contornar as diretrizes ora descritas.

Após o início das atividades de gestão de recursos de terceiros pelo Warren será restrita a negociação pelos Colaboradores de ações, índices e derivativos de tais ativos negociados em mercado regulamentado no País, devendo toda e qualquer negociação de ações, índices e derivativos que possam gerar qualquer tipo de conflito de interesse, serem previamente submetidas à aprovação do Compliance Officer, que poderá formular questionamentos e vedar, a seu exclusivo critério, a respectiva negociação pelo Colaborador. Posições do Colaborador em referidos títulos e valores mobiliários adquiridos previamente ao ingresso do Colaborador no Warren poderão ser movimentadas apenas para fins de liquidação, mediante prévia e expressa autorização por escrito do Compliance Officer.

O Warren não incentiva a realização de investimentos pessoais pelos Colaboradores em moedas, juros, derivativos de qualquer espécie e índices diversos, devendo os Colaboradores solicitar aprovação prévia caso desejem realizar tais operações. Tal autorização deverá ser obtida junto ao Compliance Officer, por e-mail ou escrito. As aprovações deverão ser requisitadas tanto para a compra quanto para a venda dos ativos.

Não estão sujeitas à disciplina acima cotas de fundos de investimento administrados ou cujas carteiras sejam geridas por terceiros, bem como títulos do Tesouro Direto, cujo investimento pelo Colaborador é livre e independente de autorização do Warren, sendo tais ativos dispensados de constar da Declaração Anual de Investimento e de Endividamento Pessoal de que trata o Anexo I a esta Política.

Esta Política exprime parte dos objetivos e valores de ética que devem orientar os negócios do Warren, sendo complementares àquelas constantes no Contrato Individual de Trabalho, se aplicável, no “Código de Ética” e no “Manual de Regras, Procedimentos e Controles Internos” do Warren, e outras políticas internas do Warren, verbais ou escritas, cuja violação será tida como infração contratual, estando o autor sujeito às sanções previstas, inclusive afastamento por justa causa.

Conforme acima descrito, as operações pessoais do Colaborador deverão ser norteadas por princípios éticos, sendo comprometidas com os valores que caracterizam a cultura do Warren, baseados na integridade, confiança, lealdade e valorização do ser humano, nunca preterindo os interesses dos clientes do Warren. Ainda, todas as decisões de investimento devem ser tomadas com fundamentos lógicos e analíticos, sem que, sob qualquer hipótese, possa pairar indeterminação sobre a total independência entre os interesses do Warren, de seus clientes e o de seus Colaboradores.

O Colaborador pode operar livremente com corretoras (locais e internacionais), desde que possuam bom conceito no mercado financeiro e que as operações efetuadas estejam em concordância com esta política, com o Contrato Individual de Trabalho, se aplicável, e com as políticas internas do Warren.

Os investimentos efetuados em benefício próprio, no mercado financeiro, devem ser norteados a fim de não interferirem de forma negativa no desempenho das atividades profissionais, devendo o Colaborador ter como objetivo preservar sua própria reputação, assim como a imagem do Warren, sempre evitando incorrer em qualquer prática que possa ferir a relação fiduciária mantida com os clientes do Warren.

Nesse sentido, os investimentos pessoais devem ser totalmente separados das operações realizadas em nome do Warren, para que sejam evitadas situações que configurem conflito de interesses, nos termos desta Política e e das políticas internas do Warren. Com base nisso, os investimentos pessoais devem (i) representar nível de endividamento pessoal inteiramente condizente com a remuneração e patrimônio do Colaborador; e (ii) estar plenamente de acordo com esta Política, não assinalando quaisquer infrações ou conflitos de interesse, nos termos da Declaração Anual de Investimento e de Endividamento Pessoal, a ser apresentada anualmente ao Compliance Officer, segundo o Anexo I a esta Política.

Para saber mais, acesse o material na íntegra: